Horácio Guiamba representa Moçambique no Festlip 2022

0
61

Horácio Guiamba, actor moçambicano, participa da 14ª edição do Festlip, Festival Internacional das Artes da Língua Portuguesa, que vai decorrer de 10 a 14 de Novembro, no Rio de Janeiro, no Brasil.

Na ocasião, o actor juntamente com oito (8) actores de países falantes de língua portuguesa, nos dias 10, 12 e 13 de Novembro, vão apresentar o espectáculo teatral Des (Cortiço), com direcção de Felipe Vidal, encenador brasileiro, e baseado no livro “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo.

“Das vezes que tenho a oportunidade de representar o país, no que ao teatro diz respeito, eu dou tudo e mais alguma coisa para que não decepcione esta nata artística de Moçambique.

É tambem motivo de muito orgulho partilhar coisas que tem que ver com a nossa cultura”, conta Horácio Guiamba, a destacar que o intercâmbio com artistas na diáspora, para além de lhe permitir crescer como artista, faz-lhe compreender que as artes não têm fronteiras.

E para o director Felipe Vidal, a troca com actores dos nove países da lusofonia é uma grande riqueza.“Digo que aqui eles são co-criadores dessa dramaturgia, porque trazem também histórias pessoais e vivências de cada um para contextualizarmos essa obra do século XXI, que aqui chamamos de “(des) Cortiço”.

O espectáculo é, na verdade, uma desmontagem do livro, já que refletimos sobre a obra e os resquícios das questões sociais que ele aborda. Tentamos descolonizar o pensamento”, explica Felipe Vidal, de acordo com as notas retiradas do site Instituto Camões Português.

Neste momento, Horácio Guiamba, se encontra no Rio de Janeiro para processo criativo.“Juntei-me a esse grupo que tem um texto, acções, falas. Tenho um personagem que estou a desenvolver juntamente com este director e com outros colegas e vamos apresentar este espectáculo”, partilha sustentando que “desde o dia sete (7) temos o ensaio presencial e já estamos a juntar esses pedaçços que tínhamos começado a montar online”.

Festlip, que surge desde 2008, inicialmente, destinava-se a grupos de teatro dos países lusófonos.

A partir de 2017, o formato muda passando a direccionar-se apenas a actores de cada país falante de língua portuguesa e envolvendo outras formas de arte, com destaque para cinema, música e gastronomia. E é a partir deste período que Horácio Guiamba representa Moçambique no Festival Internacional das Artes da Língua Portuguesa.“

É desde 2017 que eu estou integrado neste festival e tenho estado quase todos os anos, tirando os dois anos da pandemia, que os espectáculos aconteceram online”, descreve.

A edição de 2022 do Festlip, acontece no ano da comemoração do bicentenário da independência do Brasil e reúne artistas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Para além disso, homenageia o cinesta Ruy Guerra, nascido em Moçambique e radicado no Brasil há mais de 60 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here