Harp, Lorber e Leyna Souto fazem o Standard Bank Acácia Jazz deste ano

0
302

O saxofonista Everette Harp e o teclista Jeff Lorber, ambos norte-americanos, serão as figuras de cartaz da quarta edição do festival Standard Bank Acácia Jazz, a realizar-se no dia 2 de Dezembro, no Campus da Universidade Eduardo Mondlane.

Aos 61 anos, Everette Harp tem uma carreira que carrega o prestígio de ter gravado para Blue Note, Capitol e Shanachie Records. Seu álbum Jazz Funk Soul, uma colaboração com Chuck Loeb e Jeff Lorber, recebeu sua primeira indicação ao Grammy de Melhor Álbum Instrumental Contemporâneo no 57º Grammy Awards.

Por sua vez, Jeffrey H. Lorber é um teclista, compositor e produtor é célebre pela sua fusão, ganhou o seu primeiro Grammy na categoria Melhor Álbum Instrumental Contemporâneo para Protótipo através da banda Jeff Lorber Fusion.

Leyna Souto, nome ainda a se estabelecer na capital do país, dando a voz, nos últimos anos, ao Stelinho Mondlane Project, igualmente levará ao palco o seu projecto para este festival inaugurado em 2017 pelo mestre e mais conceituado guitarrista moçambicano Jimmy Dludlu.

A intérprete é conhecida nos circuitos mais atentos da cidade pelas actuações ao vivo que tem vindo a fazer nas casas de pasto. Actualmente tem disponíveis na internet dois singles, “Nwananga “ e “New Chapter”.

“Procuramos, sempre, combinar a música internacional afro-jazz aos novos talentos existentes no País”, disse, citado pelo O. Económico, Alfredo Mucavel, Director de Marketing e Comunicação do Standard Bank.

Nesse contexto, prosseguiu, o festival já teve em destaque a Banda Kakana e o compositor e guitarrista Valter Mabas, que neste momento está em alta com a positiva recepção do seu álbum de estreia, “Blue Window”.

“Esta é uma forma de evidenciar e valorizar a música moçambicana” entende Alfredo Mucavel, prometendo “continuar a fazer”, na mesma direcção.

Conforme a publicação que estamos a citar, o festival será produzido pela BDQ eventos, que foi responsável pelos concertos dos reputados George Benson, Marcus Miller, Norman Brown ou Richard Bona, por exemplo, contexto do “Moments of Jazz” e outras actividades de gabarito.

Por via deste festival, o Standard Bank pretende contribuir para a internacionalização da música moçambicana e promoção do país como destino turístico de referência, elevando a cultura nacional através do intercâmbio de músicos e outros artistas nacionais e estrangeiros.

Artigo anteriorCamões foi ao Brasil este ano
Próximo artigoAnésio Manhiça premiado na França
É licenciado em Jornalismo, pela ESJ. Tem interesse de pesquisa no campo das artes, identidade e cultura, tendo já publicado no país e em Portugal os artigos “Ingredientes do cocktail de uma revolução estética” e “José Craveirinha e o Renascimento Negro de Harlem”. É membro da plataforma Mbenga Artes e Reflexões, desde 2014, foi jornalista na página cultural do Jornal Notícias (2016-2020) e um dos apresentadores do programa Conversas ao Meio Dia, docente de Jornalismo. Durante a formação foi monitor do Msc Isaías Fuel nas cadeiras de Jornalismo Especializado e Teorias da Comunicação. Na adolescência fez rádio, tendo sido apresentador do programa Mundo Sem Segredos, no Emissor Provincial da Rádio Moçambique de Inhambane. Fez um estágio na secção de cultura da RTP em Lisboa sob coordenação de Teresa Nicolau. Além de matérias jornalísticas, tem assinado crónicas, crítica literária, alguma dispersa de cinema e música. Escreve contos. E actualmente, é Gestor de Comunicação da Fundação Fernando Leite Couto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here