Lúcia Vicente, escritora portuguesa, participa na Feira do Livro de Maputo

0
52

A convite do Camões – Centro Cultural Português em Maputo, Lúcia Vicente representa Portugal na oitava edição da Feira do Livro de Maputo/2022, que decorrerá de amanhã até sábado, na capital moçambicana.

Lúcia Vicente irá participar no painel subordinado ao tema “As minhas mãos colocaram pedras nos alicerces do mundo” (Agostinho Neto), no dia 21 de outubro, às 14.00 horas. A sessão será transmitida online através das página do Facebook do Conselho Municipal de Maputo, da Feira do Livro e na página web da feira.

O Camões – Centro Cultural Português em Maputo participará também através da presença de um stand de promoção de literatura em língua portuguesa.

A oitava edição da Feira do Livro e Maputo tem como autor homenageado Luís Bernardo Honwana e como patrono José Craveirinha. Sob o lema “A complexidade da história não se esgota com o tempo” – a edição 2022 da Feira do Livro de Maputo também acontece em formato híbrido. Parte dos debates são transmitidos virtualmente e conta também com a programação presencial com sessões de leitura, música, debates, concursos literários, oficinas de pintura e leitura, teatro, conto e reconto de histórias, exposição e venda de livros a preços promocionais.

Lúcia Vicente nasceu em 1979, em Faro, no sul de Portugal, numa família cheia de mulheres. Foi a primeira desse núcleo a concluir uma licenciatura. Cedo se questionou sobre o papel da mulher na sociedade e por que razão os livros de História nunca mencionavam mulheres. Em 1995, criou, juntamente com um grupo de amigos, o coletivo feminista MUPI (Mulheres Unidas Pela Igualdade), e dedicou-se ao ativismo feminista em adolescente. Em 1997, foge rumo a Lisboa, onde se licenciou em História e História Cultural e das Mentalidades na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Em 2007, ingressa no mestrado de Estudos de Género da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, que nunca terminou por diferenças ideológicas. Com tendência para mudar de poiso de 10 em 10 anos: a última vez, farta de gente, saiu de Berlim direitinha para um monte alentejano, onde vive com o seu companheiro, filha e os seus dois cães. Já teve milhões de ofícios. Os seus favoritos são ser escritora-poeta e dedicar-se à educação para o feminismo. Em 2018 publicou o seu primeiro livro para crianças, ​Portuguesas com M grande​. ​Raízes Negras é o seu último livro. A preparar o primeiro livro de poesia “Do dia que passa e além mar”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here