Arranca na sexta-feira a primeira edição do Moda Baía

0
15

Mostrar as tendências de moda e as novidades das colecções de diversas lojas e estilistas é um dos objectivos do Moda Baía 2022, a decorrer de sexta-feira a domingo, no Baía Mall, o maior centro comercial do país.

Confirmam presença no evento as lojas Cherry, Whetu, Fashion World, Leenale, Timberland, Mr Price, Mó, Woolworths, Piubella, Oh Baby!, Zippy, Bebé Giro, Studio 88 e o Brechó Da Suneyla, Seaside, Ipanema e Stara.  Os estilistas Fahed Gaspar, Mabenna, Ilda Semedo, Hloyase, Zualo’s Fashion serão os primeiros nomes na história deste evento de moda.

A ser planeado há quatro anos pelo Baía Mall, em parceria com a DDB Moçambique, o Moda Baía 2022 será feito em três dias de desfiles inéditos. Na sexta-feira e no sábado, das 20h30 às 22h00, e no domingo, das 15h00 às 17h00, haverá um desfile especial para crianças.

Pretende-se, com o efeito, que esta plataforma de visualização desta forma de arte moçambicana se torne um evento anual, a realizar-se sempre em Setembro. Por essa razão, o Baía Mall juntou-se à DDB Moçambique que carrega uma vasta experiência construída ao longo de 18 anos de Moçambique Fashion Week.

Como forma de contribuir para o desenvolvimento da indústria da moda no país, um dos objetivos é tornar esta iniciativa um ponto de network de diferentes intervenientes. “Queremos oferecer o melhor aos nossos clientes, inquilinos e parceiros”, disse Lisié Champier, da organização do evento.

O Moda Baía será influenciador, pois um centro comercial é o lugar frequentado por pessoas à procura de respostas às suas necessidades. Portanto, é um ponto estratégico, um lugar para que os estilistas nacionais possam expôr a sua criatividade. 

“Neste momento contamos com uma média de dez mil pessoas, diariamente e, é claro , sábado é o dia de maior movimento onde atingimos aproximadamente dezesseis mil pessoas ”, disse Lisié, ao ilustrar a capacidade de dar maior visibilidade aos artistas nacionais.

“O Baía Mall orgulha-se de poder finalmente dar este passo que é planeado há 4 anos”, disse Lisié Champier, responsável pelo evento. 

“Pretendemos para além de demonstrar as novas colecções das lojas e tendências internacionais, agrupar a criatividade, o conhecimento e desenvolvimento cultural dos moçambicanos”, frisou. 

Lisié Champier acredita que a cidade de Maputo e o país precisam de contar a sua história no seu próprio espaço. 

“Assim como pretendemos apoiar ainda mais criando espaço para jovens talentos exporem os seus trabalhos artísticos e incentivando a inovação, reciclagem e a protecção do meio ambiente”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here