Studio Bom Dia em campanha Go Fund para reabrir

0
17
Fotografia do interior do estúdio antes do incêncio

Para reactivar o Studio Bom Dia, estúdio sediado na cidade de Inhambane, que ardeu há dias, Roland Pickl, seu fundador, está a fazer uma campanha de angariação de fundos no Go Fund.

Serão precisos, estima Roland Pickl que nos respondeu esta tarde pelo WhatsApp, cerca de 70 mil euros para que o estúdio volte ao activo. O cálculo é feito a partir das previsões de custos para reabilitar a infraestrutura do Studio Bom Dia, instrumentos musicais e equipamento de gravação.

“Boa parte do edifício terá de ser reconstruído, teremos de refazer a arquitetura interior para responder ao isolamento acústico, precisaremos de monitores, novo sistema de gravação digital, equipamento para gravação ao vivo em espaços abertos”, explicou Roland Pickl que ainda soma o valor de transporte e taxas aduaneiras para entrada desses materiais caso venham da África do Sul, Europa ou Estados Unidos de América.

O incêndio consumiu, financeiramente, mais de 70 mil euros, prosseguiu o fundador do estúdio. Entretanto este é o valor que projecta para que pelo menos voltem a trabalhar.

A previsão deste ano era gravar cinco trabalhos com os quais o estúdio vem trabalhando num regime de longo prazo.
“Os projectos com o Chico António”, por exemplo, “estavam em cópia em discos duros, queimaram quase todos, menos um que, entretanto, não está a responder e já se considera enviar para especialistas da África do Sul para recuperar”.
Caso não haja sucesso, prosseguiu, vão continuar a trabalhar nesse projecto, se não, “vamos regravar com a banda que fez a apresentação no Centro Cultural Franco Moçambicano, em Maputo”.

De acordo com a descrição da campanha, o único estúdio musical profissional situado na província de Inhambane, Moçambique, gravou mais de 30 álbuns, com mais de 100 cantores e instrumentistas moçambicanos, bem como com músicos de mais de 20 países diferentes em todo o mundo.

É o único estúdio musical profissional da província, e apenas um de 3 no país equipado para gravações de bandas profissionais ao vivo.

Roland Pickl, seu fundador, é também co-fundador da Positivo Moçambique; uma organização que espalha a consciência do HIV entre os jovens através da Música. Desde 2007, mais de mil jovens e estudantes já gravaram canções originais em oficinas de educação e mentoria sobre o VIH.

Para mais info: https://gofund.me/cff15089

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here