“Sem 100” estreia hoje no Maputo International Film Festival 

0
159

O filme “Sem 100”, realizado por Ivo Mabjaia e com roteiro de Rúpia Júnior, estreia no Maputo International Film Festival, que arranca hoje, na Feira de Artesanato, Flores e Gastronomia (FEIMA), na cidade de Maputo. 

A sátira fictícia gira em torno de como os grandes executivos comandam a opinião pública através de influenciadores digitais, injectado dinheiro para que criem distrações extravagantes, fazendo com que a sociedade se esqueça de cobrar respostas e acções dos seus líderes.

Rúpia Júnior conta que trabalhou arduamente para construir o roteiro e as correcções de Ivo Mabjaia foi cruciais para que a película fosse o que é. O filme “Sem 100” é produto de uma colaboração entre as produtoras moçambicanas Kadore África e Afrocinemakers. 

Além da estreia do filme, o programa do Maputo International Film Festival contempla filmes de Moçambique,  Angola, Brasil e Portugal que serão exibidos nas salas convencionais e em espaços alternativos.

A acção, que decorre até 5 do corrente mês,  tem lugar em vários espaços, nomeadamente, na Feira de Artesanato, Flores e Gastronomia (FEIMA), Centro Cultural Brasil Moçambique e Café Acácias. Além destes locais, o programa do festival espera visitar as Escolas Secundárias da Catembe, Polana e Josina, Colégio Kitabu onde serão exibidos filme e existirá espaço para os estudantes entrarem em contacto com os realizadores das obras.

Além da exibição de películas, a iniciativa promove debates sobre questões contemporâneas relevantes para o cinema de hoje, workshops que servirão de passagem de testemunho e uma feira de confraternização e intercâmbio. 

“Com a exibição dos  filmes, esperamos atrair uma audiência com tópicos populares para que mais pessoas adiram às salas. Esperamos receber pelo menos 2000 pessoas durante as secções. Exploramos as escolas, pois queremos que o público infanto-juvenil tenha contacto com obras nacionais e saibam quem são os nossos cineastas”, apontou Wildford Machili, director do Festival.

 

Com filmes nacionais e internacionais, da lista de obras destacam-se filmes como a mais recente obra de Licínio de Azevedo, intitulada Nhinguitimo. A curta-metragem adaptada do conto de Luís Bernardo Honwana, expressa a vocação do cineasta olhar para trás como quem pensa o seu tempo no espaço onde habita.

No festival a nova e talentosa geração de cineastas nacionais terá o seu espaço. Por exemplo, da lista contam nomes Gigliola Zacara, Ivo Mabjaia, Rupia Junior
, Xavier Bila, Victor Khumalo, Eric Mugabo, Ique Langa e Láudia. 

No festival será homenageada Hermelinha Simela, a título póstumo, com a exibição da sua última obra, Fenix em Hibernação. A curta-metragem traz a história de Kate , uma diva da música moçambicana, habituada ao glamour das noites de espectáculos regados a muita acção. Com a pandemia viu-se obrigada a ficar em casa longe do que mais gosta e entra em depressão profunda. 

Angola participa do festival com três películas, nomeadamente, “Dois mundos”,de Hochi Fu, “Parto Rosa”, de Renata Torres, e “Alzheimer”, de Blandine Klander. 

O Brasil também exibe três obras, que são: “Ilha das Flores, de  Jorge Furtado,  “Cidade de Deus” e “Estômago”, ambas de Fernando Meirelles. 

O Maputo International Filme Festival é organizado pela Big Picture, um colectivo nacional que espera popularizar a sétima arte, tornando mais acessível a todos os públicos.

 

Confira o programa do evento: 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here