O CATALOGUS de autores nacionais abre amanhã

0
234
CATALOGUS Eduardo Quive e MélioTingaFotografia de Júlio Marcos

É lançado oficialmente nesta sexta-feira, 30 de Julho de 2021, o portal de autores moçambicanos CATALOGUS que será acessível pelo endereço www.catalogusautores.com

O CATALOGUS é uma plataforma online de divulgação e promoção do autor, por via da disponibilização de informação completa e actualizada sobre a vida, obra e actividade do autor. É um “catálogo” que se pretende completo sobre o autor: com biografia actualizada, bibliografia, banco de imagens em fotografia e audiovisual, acompanhamento de carreira (divulgação de agenda e eventos) e acções de promoção da sua obra junto do público.

O mapeamento e registo de autores será um processo contínuo e feito mediante a submissão da informação junto da plataforma pelo autor, sendo que nesta fase de lançamento já se encontram 20 autores cadastrados.

A nossa expectativa é de registo e mapeamento, ainda neste ano alcançar o número de 100 autores, entre consagrados e emergentes, todos com obra publicada independentemente do género. Contudo, estamos cientes que só é possível alcançar com a conjugação de esforços conjuntos, mas sobretudo pela vontade do autor em ver-se inserido numa comunidade que permitirá ao público local e global o acesso à informação actualizada, a agenda literária e uma série de iniciativas que visam massificar o consumo de obras literárias e o conhecimento sobre os criadores e as criações literárias moçambicanas.

Ao mesmo tempo que irá disponibilizar a informação sobre autores e a actualização sobre a sua dinâmica de eventos literários, o CATALOGUS será um veículo para a divulgação de iniciativas e oportunidades para os autores no seio da comunidade da língua portuguesa e noutros quadrantes.

O CATALOGUS é a primeira iniciativa de género em Moçambique e pretende-se o mais plural e envolvente na comunidade de autores de modo a dar maior visibilidade ao seu trabalho e publicações, criação de pontes de intercâmbios com autores da comunidade dos países de língua portuguesa.

Num contexto de fraca circulação de obras e até de autores entre os países, o CATALOGUS está a aberto em ser um espaço de facilitação e acessibilidade, pelo que já se projecta para constituir um espaço para a divulgação e promoção de autores no seio de dos PALOP – Países Africanos de Língua Portuguesa e de toda a lusofonia.

Para já, posicionamo-nos como uma verdadeira porta de entrada e principal referência para entrar no contexto de toda a diversidade da literatura moçambicana.

Os Fundadores

Eduardo Quive (Junho, 1991) é poeta, escritor e jornalista. Fez formação em jornalismo que não concluiu. Foi editor do semanário Dossiers & Factos (2015-2016) e do semanário cultural Debate (2016). Foi cronista do semanário Sol, edição moçambicana, correspondente do jornal angolano Cultura e durante dois anos, trabalhou na televisão, como jornalista, produtor de conteúdos e apresentador (2013 e 2014).

É membro fundador do Movimento Literário Kuphaluxa. É director editorial da Revista LITERATAS e em 2018 fundou a produtora de conteúdos e organizadora de eventos Vice-Versa Ideias.

Escreve poesia. É autor do livro «Lágrimas da Vida Sorrisos da Morte» (Literatas, 2012); Co-autor de Brasil & África – Laços Poéticos (Editora Letras, 2014); co-organizador das colectâneas «Contos e crónicas para ler em casa» – Volume I e II (Literatas, 2020). Em 2020 co-organizou o livro O Abismo aos pés (Literatas), com entrevista a 25 escritores lusófonos sobre a iminência do fim do mundo, em pleno pico da pandemia do novo coronavírus. 

Mélio Tinga (Junho, 1994) é escritor e designer de comunicação. Publicou «a engenharia da morte» (Edição independente, 2020 | Caos e Letras (Brasil), 2021) e «O Voo dos Fantasmas» (Ethale Publishing, 2018). É Prémio Literário INCM/ Eugénio Lisboa 2020 com «Marizza» (romance), foi finalista do Prémio 10 de Novembro 2019 com «Outro Dia a Nuvem Evapora» (contos) e Prémio Sensasons (2012). É colaborador permanente da Revista Literatas e membro do Movimento Literário Kuphaluxa desde 2013.

É autor membro de «Mapas de Confinamento», fez parte de «Olhos Deslumbrados – Histórias de Maputo» (FFLC, 2020), «Memórias de Idai» (Fundza, 2020), «Idai – marcas em verso e prosa» (Gala-Gala Edições, 2020), «O Hambúrguer que Matou Jorge – Antologia de Contos Criminais Moçambicanos» (Ethale Publishing, 2017).

Co-organizou e participou de «Contos e crônicas para ler em casa» – Volume I e II (Literatas, 2020). É formado em Educação Visual pela Universidade Pedagógica, co-fundador e director executivo da DESIGN Talk e da DEZAINE. 

Artigo anteriorRockfeller’s sem baixo. Covid levou Ivan
Próximo artigoOs ventos de Agosto vem Carmen Muianga a explorar o azul na exposição “O homem que cai na Terra”
É licenciado em Jornalismo, pela ESJ. Tem interesse de pesquisa no campo das artes, identidade e cultura, tendo já publicado no país e em Portugal os artigos “Ingredientes do cocktail de uma revolução estética” e “José Craveirinha e o Renascimento Negro de Harlem”. É membro da plataforma Mbenga Artes e Reflexões, desde 2014, foi jornalista na página cultural do Jornal Notícias (2016-2020) e um dos apresentadores do programa Conversas ao Meio Dia, docente de Jornalismo. Durante a formação foi monitor do Msc Isaías Fuel nas cadeiras de Jornalismo Especializado e Teorias da Comunicação. Na adolescência fez rádio, tendo sido apresentador do programa Mundo Sem Segredos, no Emissor Provincial da Rádio Moçambique de Inhambane. Fez um estágio na secção de cultura da RTP em Lisboa sob coordenação de Teresa Nicolau. Além de matérias jornalísticas, tem assinado crónicas, crítica literária, alguma dispersa de cinema e música. Escreve contos. E actualmente, é Gestor de Comunicação da Fundação Fernando Leite Couto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here