Poemas de Lau Siqueira

0
121
Lau Siqueira
Lau Siqueira

Textos de Lau Siqueira

FIGOS MADUROS
              ai de mim
com esta figueira crescendo dentro
sem saber direito o momento da poda
ou da colheita

             ai de mim
que não entendo de árvores
e não compreendo o que dizem
o que fazem

como agem na hora do corte

e depois
na transcendência
das figueiras

não sei de casca
grossa no caule leitoso
que com o tempo será
fibra impermeável

              ai de mim
que percorro a mansidão invisível
como um galo cumprindo o ofício
              das manhãs

Desenho de João Timane
Desenho de João Timane

CONDIÇÃO PERENE
          nas cheias
o rio comanda o espetáculo

e as margens são apenas
degraus para o leito mais fundo

          nas secas
          o rio é a margem

Pintura de João Timane
Pintura de João Timane

TAPERA
O tempo é uma casa
desabitada e esquecida
no meio de estrada.

Quem passou por ela
e viu apenas uma
casa, na verdade não

viu nada.

***

Lau Siqueira é um poeta brasileiro que nasceu no ano de 1957, em Jaguarão, no extremo sul do Brasil. Reside no Nordeste, na Paraíba. Publicou dez livros de poemas. Os três apresentados aqui estão no livro “O inventário do Pêssego” e “A memória é uma espécie de cravo ferrando a estranheza das coisas”, ambos publicados pela Editora Casa Verde. Participou de diversas coletâneas e antologias no Brasil e no exterior. Sua poesia está em várias, revistas, suplementos literários, sites e blogs. Atualmente escreve periodicamente para as revistas Crônicas Cariocas e Mallarmargens – regista de literatura e arte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here