Poemas de Iner Muchine

0
101
Iner Muchine
Iner Muchine

Textos de Iner Muchine

A EXTENSÃO DO VAZIO

Reina um silêncio pós-adeus, uma secreta solidão, cada vez que traço outras rotas para o esquecimento. Minha cabeça põe-se a jejuar a tua voz cercada pela ilha do meu pranto e quando a noite se racha em mil escuridões, eu grito para sempre dos terraços interiores. Levada aos beiços, a taça fria que vigia o tremor do meu sangue cai no silêncio vasto da noite e eu vejo-me sozinho, petrificado na sentença do acaso e revivo o susto da tua demora levantada na cabeça pelas luzes da devoção. Sinto que pela madrugada adentro a memória é um campo de guerra e a tua face é a justiça que os meus olhos buscam cada vez que a professo com os meus dedos indefesos, náufragos e assaltados pelo terror da tua ausência, quando na sombra da noite, o teu corpo se sepulta na tragédia da minha insónia e a mão mágica do meu solilóquio pede um corrimão a cada ciclo desta confissão.

Pintura de João Timane
Pintura de João Timane

NOCTIS

Quer-se do crepúsculo o desabotoar do abismo
Até que a noite ressurja do poema
E as trevas se acalentem na chama sôfrega do destino.
Todo o corpo é trágico no leito do esquecimento e o ofício do fogo
Prolonga a compaixão da cegueira pelas salas escuras do amor
Agora que o coração é a tocha da meditação;
A revelação do zodíaco;
O clamor absoluto das chagas que se perdem na agonia que sobrevivo
Por todos os séculos desta noite.

***

Iner Muchine é um escritor e poeta nascido e residente em Maputo, Moçambique. Nascido a 23 de Maio de 1997, seu primeiro contacto com a poesia foi aos seus 11 anos, com poemas de José Craveirinha “Grito negro” e “Poema do futuro cidadão”. Participou da antologia “Duas faces da mesma poesia” e tem poemas publicados em blogs, redes sociais, revistas, bem como Jornais.

Artigo anteriorO leito de Procustes
Próximo artigoConto de Adriano B. Espíndola Santos
Hirondina Joshua nasceu em Maputo, Moçambique, aos 31 de Maio de 1987. É membro da Associação dos Escritores Moçambicanos. Participou de várias antologias, revistas blog, jornais, colóquios, debates, festivais nacionais e estrangeiras. Tem colaborado com a plataforma mbenga de artes e reflexões fazendo conversas e divulgando textos de autores lusófonos. É co-redatora da revista portuguesa incomunidade. E colunista da revista galega palavra comum onde colabora com ensaios sobre a arte da escrita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here