Hoje é Dia Internacional dos Museus

0
221

Celebra-se hoje, dia 18 de Maio, o Dia Internacional dos Museus, sob Lema: O Futuro dos Museus: Recuperar e Reimaginar.

O lema, conforme uma nota do Ministério da Cultura e Turismo, assenta no discurso transversal da continuação das iniciativas do Conselho Internacional de Museus (ICOM) referentes à relevância de novas abordagens sobre a sustentabilidade museológica.

Nesta celebração, pretende-se apelar aos profissionais dos museus e às comunidades para a criar, imaginar e partilhar novas práticas e soluções inovadoras para os presentes desafios sociais, econômicos e ambientais.

Este ano, a data coincide com o contexto indelevelmente marcado pela pandemia da COVID-19, que abalou e continua a abalar todas as estruturas da sociedade.

Neste sentido, conforme a nota que estamos a citar, é imperioso continuar a promover os museus como factores de coesão social, de promoção da cidadania da educação patrimonial.

“O Ministério da Cultura e Turismo associa-se ao movimento mundial de celebração do dia 18 de Maio, renovando o seu compromisso pela preservação, conservação e fruição do património cultural e natural moçambicano”, lê-se na nota do Ministério da Cultura e Turismo.

A instituição afirma-se ciente de que para o alcance deste desiderato é imprescindível a participação da sociedade civil e das comunidades, uma vez que os museus são parte integrante das comunidades, da herança cultural e paisagística e do ambiente que os circundam.

Por outro lado, nesta data não se pode ignorar o facto de alguns países africanos e mesmo a nível do Ocidente estarem num movimento no sentido de recuperar obras de arte que tenham sido saqueadas ou levadas das antigas colónias numa situação, como observa Achile Mbembe, de injusta na relação de Poder.

Pese embora ainda pairem muitas incertezas, posições antagónicas, o facto é que este debate já existente desde o movimento pan-africanista, entretanto ignorado durante vários anos, está a resultar em devoluções de obras de arte para os territórios de origem, tal é o caso, por exemplo, do Benin.

Designado por Restituição, esta discussão, para além da devolução de bens culturais que podem alterar a geografia de visitas – pois neste momento a maioria dessas obras se encontram no ocidente – pretende igualmente reabilitar as narrativas a volta das identidades africana “contaminadas” pelo colonialismo.

Os nossos imaginários continuam a formular-se com base na percepção de nós mesmos construída a partir dos registos produzidos pelo discurso que tem como objectivo anular a nossa humanidade a partir da negação da nossa História – para contar uma alternativa, que interessa a quem pretende continuar a dominar de forma injusta.

18 de Maio, Dia Internacional do Museu, é uma data instituída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), através do Conselho Internacional de Museus (ICOM), em 1977.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here