Virgília Ferrão vence “Prémio Literário 10 de Novembro”

0
53

“CORAIS e Rosas”, de Virgília Ferrão, venceu o “Prémio Literário 10 de Novembro” (AEMO/CMCM), anunciado no último dia 15 de Novembro nos Paços do Conselho Municipal da Cidade de Maputo.

A romancista é a primeira mulher a vencer este prémio, com o seu terceiro romance, “Corais e Rosas”, inédito, mas desta vez não foi uma vitória fácil. Com 13 livros a concurso, o júri, presidido por Carlos Paradona Rufino Roque, e que integrou Marcelo Panguana e Japone Arijuane, reuniu-se duas vezes até atribuir o prémio por maioria a “Corais e Rosas”, ora contemplada dentre cinco obras finalistas, nomeadamente: “Uma Dor que Desatina”, de Edite Costa; “As Asas Decepadas”, de Ganima Gafar; “A Herança”, de Khassabwete; “Depois não Digas que Inventei Massacres em Pleno século XX”, de Telma Júlio Massango e “Outro Dia a Nuvem Evapora”, de Juan Simões, obras reveladoras de uma grande criatividade literária, que interessa acompanhar e encorajar, segundo o júri.

O júri destaca no livro de Vigília Ferrão “a apurada técnica de construção narrativa, as múltiplas dimensões sociais, que propicia, pelo domínio da linguagem, factor fundamental na criação literária, e também pela inovação estilística, que afasta esta obra do lugar comum. E sobretudo, porque esta obra chama atenção para uma literatura moçambicana, que desponta e não tardará a ocupar o seu espaço no mundo literário”.

Em declarações à nossa Redacção, por ocasião da premiação, Virgília Ferrão contou tratar-se de uma novela, que narra a história de amor e amizade, entre três pessoas do passado, que se reencontram no presente, abordando também temas como o ambiente e a preservação do património cultural. A autora fala ainda com emoção da surpresa que foi vencer este prémio, o qual é uma forma de reconhecimento e incentivo ao trabalho de escritores da sua geração.

Desde que foi instituído em 2005, o prémio, que tem hoje uma dotação financeira de 100 mil meticais, foi já atribuído a 14 autores, dos quais integram: Calane da Silva, Amin Nordine, Lucílio Manjate, Alexandre Chaúque, Aurélio Furdela, Léo Cote , entre outros.

Virgília Leonilde Tembo Ferrão nasceu a 3 de Outubro de 1986, na cidade de Maputo, Moçambique. Ingressou no curso de Direito, no Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique (ISCTEM), em 2004, tendo concluído o curso em Setembro de 2008. Trabalhou na empresa SAL & Caldeira Advogados, Lda., sedeada na cidade de Maputo, de 2008 a 2010, como consultora jurídica júnior.

Lançou a sua primeira obra literária intitulada “O Romeu é Xingondo e a Julieta Machangane” em 2005 e a segunda obra intitulada “O Inspector de Xindzimila” pela editora brasileira Selo Jovem, em 2016. Actualmente, trabalha para a Anadarko Moçambique Área 1 (Total), como consultora jurídica e é administradora do blog “diário de uma qawwi”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here