Albino Magaia lança livro na “Fundação”

0
75

A Fundação Fernando Leite Couto (FFLC) acolhe amanhã, às 18.00 horas, o lançamento do livro “Duas vidas à procura do mar e Outros contos”, do escritor e jornalista Albino Magaia, falecido em 2010.

Inspirados na colecção “Gostar de Ler”, chancelada pela extinta Revista Tempo, nos anos 1980, a iniciativa é do FFLC, Banco Societé Génerale e família Magaia. O objectivo é lançar a colecção “Gosto de Ler” para facilitar o acesso ao livro e a reconstrução de uma cultura com maior entusiasmo pela leitura, escrita e gosto pelo livro.

Albino Fragoso Francisco Magaia nasceu na então cidade de Lourenço Marques, actual Maputo, a 27 de Fevereiro de 1947. Jornalista, escritor e veterano da luta contra o colonialismo português em Moçambique, faleceu em Maputo, aos 63 anos, em finais de Março de 2010, vítima de doença. Até à data da sua morte Magaia era administrador-delegado da Sociedade do Notícias.

As qualidades jornalísticas de Albino Magaia começaram a evidenciar-se ainda no período colonial. No entanto, foi na revista “Tempo” que ele atingiu o auge, tornando-se, no período áureo daquele semanário, num homem incontornável no jornalismo moçambicano do pós-independência.

Durante a juventude e movido pelo espírito e pelos ventos da procura da liberdade para o seu país, Albino Magaia juntou-se ao movimento nacionalista que foi a Frelimo. Chegou a ser preso pela PIDE, a polícia política portuguesa, tendo cumprido pena na cadeia de Mabalane, em Gaza. Descreveu as memórias dos seus tempos de prisioneiro no livro “Yo Mabalane”, que lançou em 1983.

Para além de jornalista e combatente pela libertação dos moçambicanos do jugo colonial português, Magaia foi também um escritor apreciado. Foi membro fundador e depois secretário-geral da Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO). Como homem das letras, Albino Magaia deixou como herança, para além das memórias de Mabalane, os livros “Malungate” e “Assim no Tempo Derrubado” e uma vasta gama de poemas, contos e outros escritos dispersos em antologias e órgãos de informação.

Albino Magaia foi também membro do Núcleo dos Estudantes Secundários Africanos de Moçambique (NESAM). Foi um dos impulsionadores do Sindicato Nacional de Jornalista (SNJ), em tempos Organização Nacional de Jornalistas (ONJ).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here