Poemas Inéditos de Silêncios e Movimentos de Abreu Paxe

0
295
Abreu Paxe
Abreu Paxe

Textos de Abreu Paxe

E as botas deste Novembro determinadas saíram à rua em brilho
embora não tenha chovido… o silêncio dos gritos
de que andam a procura, numa manha tão serena e só de vinte e três vozes
ainda atadas ao silêncio de Novembro?

Falar é a rés casa sem palavras as cores incandescentes, incendiados gritos até
a violência se despe nua e completa ao vento desnuda-se
numa repousada e lenta manifestação, maus cheiros da história que se rasgam nas persianas o fedor de luz imenso costura imagens duras … os silêncios que circulam em mim

cicatrizes os ventos duros materiais … a frequência de espelhos … nesta erva desértica de fumos ressequido sábado; as botas deste novembro.

…Entre portas e janelas as pontes e línguas, as dobradiças
tensão entre o ponto e a fonte onde estão os raios de onde vêm alguns sentidos
as coisas do espaço de uma saia molhada água da margem … no espaço silencioso duma saia
essa bainha na margem da água são as imagens que evoco em excesso
assim também acesas na bainha desta saia as coisas dum espaço como o do meu olhar

Desenho de Joaneth

Os tambores dividem-nos numa visão bem definida
ou porque estão vazios e fazem barulhos ou porque estão cheios e são silenciosos
nus bares ruas, vestígio da natureza … nua bar rua de vestígios
os instrumentos da sexualidade nos silêncios que nos escapam
o estado apurado dos sentidos frutos selvagens
são estes novos pontos de partida que ficaram para trás do ideograma

No silêncio das rodas circulam cabeças todo o troço e membros
meus movimentos as sombras do muceque seus muros
feriam todos os materiais são lentas chuvas … entre a retaguarda e a vanguarda
as sonoridades são danças vagarosas são breves carnes
em cada lado a brasa de cada lado nkonko o rio
maré cheia, cheira a libongo tua brancura de noite mabanga suada

* * *

Abreu Castelo Vieira dos Paxe, nasceu em 1969 no vale do Loge, município do Bembe província do Uíge, Angola. Doutor em Comunicação e Semiótica (2016) pela Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, no Programa de Pós-graduação em Comunicação e Semiótica, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Actua no Grupo de Pesquisa, Comunicação, Cultura: Barroco, Mestiçagem, na PUC-SP/Brasil e na área de Educação, Cultura: Comunicação e Artes no ISCED de Luanda.    

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here