“Resgate” vai às salas de cinema

0
227


O filme “Resgate: quando o passado bate a porta” será exibido, nas salas de cinema moçambicanas, pela primeira vez, a 18 de Julho, nas cidades de Maputo e Matola. A exibição durará duas semanas.

A produtora Mahla Filmes vai também passar nas salas da província de Tete. São 100 minutos de uma longa-metragem produzida totalmente com fundos moçambicanos. “Resgate” foi rodado nas cidades de Maputo, Matola, distrito de Marracuene e no posto administrativo de Changalane, no distrito de Namaacha, província de Maputo.


As gravações, que duraram 40 dias, foram divididas em duas fases. Na primeira, foram necessários 30 dias sem interrupção. Trabalhado este conteúdo, os restantes dias foram suficientes para refazer alguns “Takes” e concluir as gravações. “Resgate” é da autoria de Mickey Fonseca, roteirista, director e co-produtor, e Pipas Forjaz, director de fotografia, editor e co-produtor.


O elenco, de 40 profissionais, desde actores, realizadores, técnicos de filmagem e som, foi  todo composto por moçambicanos. Apenas convidou-se um sul-africano director de luz e uma norte-americana assistente de filmagem, para darem outro perfume à longa-metragem.

 
Em 2016, falava-se que eram necessários 150 mil dólares norte-americanos para cobrir as despesas da produção, que incluíam o pagamento de salários e de todo o material necessário. Com a crise económica mundial, que afectou o país, o Metical, moeda nacional, desvalorizou. Como consequência, a equipa de produção conta que foram gastos mais do que o valor inicialmente previsto. 

A princípio, os produtores do filme buscaram oportunidades de ter patrocínio para a materialização de “Resgate”. Um dos conceitos que levavam na manga para a mesa de negociação é a publicidade dentro do filme, que implicava que os actores devessem usar um determinado produto de uma empresa ao longo da sua actuação. 

Mesmo com esse conceito, Mickey e Pipaz não conseguiram atrair os financiadores durante os seis anos que tentaram gravar o filme e acabaram por engrenar nessa luta sem financiamento. Ainda assim, há um sorriso que vem do fundo, quando se lembram que não tiveram financiamento, que é a liberdade artística.

“Nós fizemos o filme como queríamos, sem imposições e condicionalismos do financiador”, sublinha Mickey. Embora haja uma expectativa de o filme vir a rodar mais do que duas semanas, acredita-se que não será possível reaver o dinheiro investido. 

Uma história de amor


“Resgate” conta a história de amor de um jovem, Bruno, que outrora tinha sido um bandido, ladrão e assassino. Ao sair da prisão, após quatro anos nas celas, tenta levar uma vida honesta, juntamente com a sua esposa, Mia, e a sua filha. 

Pipas

Dedicado e decidido a abandonar aquela vida, arranja um emprego como sucateiro, mas os fantasmas do seu passado sombrio o perseguem. Subitamente, aparece um empréstimo que fora contraído pela sua mãe e é surpreendido por uma intimação bancária. 

O homem, que antes tinha sido um bandido e sequestrador, agora vê-se na iminência de perder a sua casa. Determinado a manter a dignidade da mãe e da família, decide envolver-se com a sua antiga quadrilha para conseguir dinheiro para pagar a dívida. 

Em pouco tempo, vê-se mergulhado numa série de sequestros e assaltos com recurso à armas de fogo, em plena via pública, que beneficiavam o chefe da equipa de assaltos. 

Pressionado pela família, pela namorada ou pelo seu subconsciente, pelo desejo de viver uma vida tranquila e honesta, Bruno elabora um plano que afronta o seu chefe. Nisso tudo, coloca a vida da família em risco. 

O filme é inspirado nos crimes de sequestro que abalaram o país em 2015-2016. Por outro lado, “Resgate” é uma ficção que denuncia os problemas de emprego e falta de habitação enfrentados pela juventude que, supostamente sem alternativas, se vê obrigada a envolver-se em actos criminosos para ganhar a vida. 

Gil, numa das passagens do filme

A personagem principal, o Bruno, é interpretada por Gil Esmael, um mecânico que já desempenhou outros pequenos papéis               em curtas-metragem do Mahla.

Não muito experiente, a sua preparação levou pouco mais de seis meses até conseguir encarnar a personagem e as falas em frente às câmaras. 

Quem desempenha o papel de esposa, a Mia, é a actriz Arlete Bombi. Nesta ficção, ela luta para manter a sua família unida e fora do perigo. Existem outros nomes que dão outro ar ao filme, como é o caso de Cândido Quembo, na personagem Paito, Tomás Bié, que interpreta Américo, Rachide Abdul, que encarna Boss e Laquino Fonseca, que é o Tony. 


As gravações deviam ter iniciado em Dezembro de 2016, mas acabaram sendo adiadas para o ano seguinte por conta da indisponibilidade da actriz Arlete Bombi, que estava grávida.  


Exibir em todo o país

Os produtores do filme esperam ver “Resgate” a ser exibido em todo o país. Mas dizem necessitar de patrocínio para poder materializar este projecto, que deverá acontecer no próximo ano.

O resultado final, caso essa iniciativa venha a concretizar-se, é a produção de um documentário a retratar todo o “road show”, de  Maputo até Rovuma.

A ideia é levar o filme àquelas camadas que não conseguem pagar os ingressos para terem acesso às salas de cinema ou não tem sítios para poder assistir nas suas zonas residenciais.

Enquanto isso, outros continentes irão sentir o cheiro de “Resgate”. O filme já foi exibido no festival pan-africano de cinema, em Uagadugu, Burkina Faso, mas nos próximos dias deverá passar pelos festivais de cinema de Lausanne, na Suíça, Hamburgo, na Alemanha e Áustria.

Com essas presenças, o filme vai firmar-se no circuito internacional de cinema. Contudo, dizem os seus realizadores, que acaba não sendo atractivo no mercado cinematográfico por causa da língua.

“O nosso próximo filme vai, com certeza, ser em Inglês”, diz Pipaz Forjaz. Refira-se que a cidade de Maputo tem conhecido um movimento de exibição de filmes moçambicanos, no cine-teatro Scala, entre as sextas-feiras e domingos.

Já passaram por lá películas como “Comboio de Sal e Açúcar”, “A Virgem Margarida”, “Geração de Independência”, “O Último Voo de Flamingo”, entre outros.

Confira o trailer

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here