Hirondina Joshua no festival literário de Macau

0
117

A ESCRITORA moçambicana Hirondina Joshua participa, de 15 a 24 do próximo mês, na oitava edição do festival literário de Macau-Rota das Letras, evento que será dominado pela poesia.

A jovem poetisa, que toma parte pela primeira vez neste festival, é apontada por Mia Couto como uma revelação no panorama literário moçambicano.

A sua obra de estreia, “Os Ângulos da Casa”, é classificada pelo poeta Mbate Pedro, prémio BCI/2015, como rica em material de escrita explorada.

“A autora é alguém que ‘bebeu’ de muitas leituras, desde Herberto Hélder, Adélia Prado e muito de Eduardo White, para encontrar o seu lugar ao sol”, disse Mbate, destacando que depois de Noémia de Sousa houve uma travessia no deserto, que pode estar a ser quebrada com a obra de Hirondina.

A escritora tem participação em várias antologias nacionais e estrangeiras, com textos publicados em jornais e revistas de Moçambique, Portugal, Angola, Galiza e Brasil. Já publicou nas revistas Caliban, TriploV, Courierdes Afriques e Literatas. Actualmente escreve para as revistas Pazes, Raízes, Por Dentro D’África, Conti Outra (Brazil), Sermos Galiza, Palavra Comum (Galiza), Pessoa, Literatura & Fechadura, Mallarmagens.

Na plataforma cultural Mbenga Artes e Reflexões, ela criou e gere a coluna “Os Dedos da Palanca”, sobre a literatura angolana. Tem participado em colóquios, tertúlias e debates sobre literatura. Em 2014, recebeu a menção extraordinária no Prémio Mondialedi oesia Nósside.

Além de Hirondina, dos países de língua portuguesa são esperados no festival de Macau, José Luís Tavares (Cabo Verde), Pedro Lamares (Portugal), Gisela Casimiro (Guiné-Bissau) e Eduardo Pacheco (Angola), entre outros. O evento, que se prolongará por dez dias, assinala o 100.º aniversário do nascimento dos autores portugueses Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena, bem como do macaense Adé dos Santos Ferreira, que escreveu os seus poemas em pátua, crioulo de Macau, de acordo com um comunicado da organização.

O festival vai ainda contar com a presença dos poetas Jidi Majia, vice-presidente da Associação de Escritores da China, Bei Dao, Yan Ai-Lin, Chris Song, Yam Gon, Chen Dong Dong, Shu Yu, Huang Fan, Lu Weiping, Na Ye, Tan Wuchang e Hsiu He, a maioria proveniente da China Continental, mas também alguns oriundos de Taiwan e Hong Kong.

O programa vai celebrar ainda o 200.º aniversário do nascimento dos poetas norte-americanos Walt Whitman e Herman Melville, e também o 100.º aniversário do 04 de Maio, o Movimento da Nova Literatura na China, salientando o contributo de alguns dos seus mais importantes mentores, como Lu Xun, Hu Shi e Zhu Ziqing, entre outros. De Macau vão participar também Mok Hei Sai, Lou Kit Wa, Wong In In e Gaaya Cheng, da associação de poesia O Outro Céu, enquanto o grupo Rolling Puppets vai apresentar, nos últimos três dias do festival, a peça de teatro de marionetas Droga, uma adaptação do romance homónimo de Lu Xun, publicado em 1919.

Sessões de poesia, debates, projecção de filmes, ‘performances’ e exposições vão decorrer, principalmente no Centro de Arte Contemporânea de Macau, no Porto Interior, na zona oeste da cidade. O festival literário de Macau-Rota das Letras, fundado pelo jornal local em língua portuguesa Ponto Final, realiza-se desde 2011.

A edição do ano passado, a sétima, ficou marcada pelo cancelamento por parte da organização dos convites a três autores, por temer que fossem barrados à entrada do território.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here