Matuetuee

0
159

A lua nessa noite é rebelde, reflecte, nas peles negras que foca, a sua ira. É mais uma noite. As crianças brincam, os mais velhos procuram paracetamol para aliviar lhes as dores de cabeça. Quando chegam as férias é assim, os pequenos esfregam-se na lama e a sujeira fica nas mãos das mães.

matue
Matuetue: brincadeira de infância praticada em Moçambique

O terror atormenta a cabeça dos mais velhos, tornando o tom dos seus cabelos mais esbranquiçados. O terror tem o nome: Marcos. Nunca entendi o nome, o sujeito de Marco só tem as marcas. Sua face é um currículo, nela vêm estampados todas as suas acções. Dos 99 crimes que ele cometeu, sua face memoriza 101 cicatrizes.

A cabeça de João gira ao ritmo do matuetuee. Ele agacha o pescoço e tenta observar telescopicamente o que se esconde dentro da saia de Sara. As voltas. A sua mão esquerda e o pé direito estão na mão de Flávio, que rodopia sem cansar.

Flávio olha nos olhos de João e vê que eles compartilham a mesma curiosidade. Flávio ganha ritmo, velocidade e raiva por disputar a mesma mulher. João vê o mundo rodopiar, rodopiar e a curiosidade de ver o que Sara esconde.

As mãos de Flávio estão molhadas, a humidade acaricia o elo entre João e Flávio. João solta-se e fica suspenso no ar. Suspenso por uma esperança ilusória. Vira a cabeça e descobre, enfim, a cor do mistério de Sara. Quando as suas nádegas tocam o chão, a dor não consegue superar a satisfação de sua descoberta. Como dois ímanes com sinais opostos, Flávio dispersa para outro lado e por descoordenação tropeça, deixando os bolsos traseiros de suas calças tocarem o chão.

A lua rebela-se. João não obedece, sentado e com as pernas esticadas vê o mundo girar, rodopiar. O mundo parou de girar. Como uma criança, deita-se no chão, segura a área com seus dedos e vê apenas a lua rodopiar no céu. A virar a seu encontro como uma bola. João vê a lua tocar a sua testa, ganha forças, levanta-se, joga a bola com furor. Flávio levanta-se, olha para os olhos de João rodopiarem, a apreciarem a sua amada e a espuma a sair-lhe da boca. A mãe sai e percebe que para além de Marcos existem na noite outros perigos. A lua era mais perigosa do que Marcos. Então, levou João a um jogo que finda a alguns milímetros debaixo da terra.

Artigo anteriorIrresponsavelmente?
Próximo artigoA Bossa de Caetano
Acredita em seus sonhos e transforma-os em verdade. Com amigos fundou o Mbenga e escreve o seu destino. Colaborou com periódicos dos PALOP’s. É docente. Formado em Relações Públicas, Jornalismo e Publicidade e Marketing, também é fascinado pela pequisa. É repórter do Jornal Notícias, o maior órgão de informação de Moçambique. Produz e sonoriza o programa radiofônico Cinema em Foco, que é difundido na RDP África. Este é só o principio da revolução.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here