Kugoma leva escolas ao cinema

0
25

Obediente ao ditado popular que diz: “é de pequeno que se torce o pepino”, o Kugoma, Fórum de Cinema de Moçambique, leva estudantes de várias escolas da cidade de Maputo para sessões de cinema no Centro Cultural Franco-Moçambicano hoje, amanhã e na quarta-feira.

O intuito do programa, intitulado Kugoma Escolas, é cultivar nos mais novos o gosto pelo cinema, esta arte que pode ampliar a imaginação e estimular uma melhor compreensão do mundo por parte dos mais novos.

Diana Manhiça, da organização do Fórum, contextualiza que esta iniciativa foi interrompida nos últimos anos por conta da Covid-19. “Regressamos este ano graças aos apoios de parceiros como o Festival Internacional de Curta-Metragem de Clermont-Ferrand e o Conselho Municipal da Cidade de Maputo”, detalha, acrescentando que a intenção é que o programa alcance mais escolas. “No entanto, precisamos de mais condições logísticas para a materialização da acção”.

Para esta acção foram selecionados quatro filmes pela curadoria do Festival Internacional de Curta-Metragem de Clermont-Ferrand, festival realizado em Clermont-Ferrand, cidade francesa. Criado em 1979, é organizado pela Sauve qui peut le court métrage exibido na sede desta organização, na La Jetée.

Da lista de filmes consta “Boa Noite”, do realizador Anthony Nti (Gana/Bélgica). Lançada em 2019, a curta-metragem de 21 minutos decorre no Gana. “Um estrangeiro se aproxima de duas crianças e as leva em uma viagem inesperada. Os três se dão tão bem que “Bogah”, o estrangeiro, começa a questionar sua intenção inicial”, lê-se na sinopse.

Outro filme a ser projectado é “Encrenqueiro”, do realizador nigeriano Olive Nwosu. A curta de 11 minutos, narra as peripécias de Obi, um jovem entediado e desesperado por algo a fazer. Quando seu melhor amigo, Emeka, lhe dá um pacote de fogos de artifício, os rapazes decidem se divertir. Mas as coisas saem do controle e Obi aprende pela primeira vez que actos têm consequências e que há coisas que ele não consegue entender.

Ambientado na Nigéria oriental, a curta “Encrenqueiro” é uma história de amadurecimento sobre masculinidade, violência e os efeitos da guerra em comunidades ao longo de gerações.

A cinematografia do Egipto também faz parte Kugoma Escola com a exibição da curta “Ward e a Festa da Henna”, de Morad Mostafa. O filme, de 2020, traz a história de Halima, uma pintora de henna sudanesa, que vai até a casa de uma jovem noiva egípcia para prepará-la antes de seu casamento, com sua filha de 7 anos “Ward”, que perambula para conhecer o lugar. Sob o olhar de Ward, o encontro entre as duas mulheres evolui da cumplicidade a tensões surgidas subitamente.

O quarto filme selecionado é “Qual foi seu sonho?”, do realizador sul-africano Karabo Lediga. O filme de 19 minutos, também lançado, em 2020, gira em torno de Boipelo.
“Para as férias de verão de 1990, Boipelo, de 11 anos, está de volta à casa da avó. Quando a viagem acaba, ela é consumida pelo fato de que, ao contrário de seus dois primos, ela não consegue mais se lembrar de seus sonhos e, portanto, não pode ajudar sua avó a jogar na loteria chinesa local”, lê-se na sinopse.

Além da projecção das películas, os mais novos terão a oportunidade de conversar sobre os filmes e ampliar o seu conhecimento sobre a sétima arte.

O Kugoma Escolas é uma das actividades do Fórum de Curta-Metragem, que neste ano vai na sua décima terceira edição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here