Yasmin Forte comunica através da fotografia

0
51

Através de sua máquina de fotografar, Yasmin Forte, alcançou níveis que jamais imaginou. A persistência e a paixão pelo que faz, são os factores que influenciaram no seu posicionamento no mercado das artes.

A artista formou-se em comunicação e, mais tarde, apaixona-se pela fotografia,  “de alguma forma elas complementam-se e eu acabo fazendo as duas coisas”, narra explicando ainda que, através da fotografia, comunica.

Mas não é só de artes que se faz o mundo da fotógrafa. Yasmin trabalha na Rádio Moçambique, entretanto, este trabalho não impede-na de fazer o trabalho da fotografia, até porque sente que a fotografia completa-na em termos profissionais. “Por eu ser uma pessoa bastante activa, gosto dessa coisa da corrida do dia-a-dia. Eu saio do serviço e depois consigo fazer o meu trabalho, de poder estar com outras pessoas, conhecer outras pessoas, poder desafiar-me e descobrir novas”, explica.

Foto: Yasmin Forte | Exposição AFROMETROPOLIS EN MOVIMENTO | Barcelona

Gostaria de fazer mestrado em artes

Yasmin confessa que são muitas as metas por alcançar. Espera terminar o curso de fotografia que está a fazer, em Joanesburg. Para além disso, deseja circular pelo mundo, com vista a  mostrar a sua arte. Entretanto, sua maior meta é fazer omestrado em artes. “Em cinco anos, eu espero estar a fazer mestrado nas artes”, partilha.

Foto: Yasmin Forte | Exposição Europa em PERSPECTIVA | Fundação Fernando Leite Couto

A pequena exposição no Scala que deixou confiante

Findo o curso de fotografia, Yasmin e seus colegas, realizaram uma pequena exposição no Scala. Yasmin vendeu suas primeiras fotos na mesma exposição, o que despertou, em si, muitasatisfação, bem como a fez acreditar que tinha nascido para fotografar. “ Eu sempre acreditei que havia de descobrir alguma coisa que eu realmente gostasse porque eu via que as pessoas, tinham, além do trabalho, coisas que gostavam de fazer e que tinham paixões por fazer essas coisas”, esclarece.

Acrescenta ainda que “ não tinha descoberto essa coisa, então quando fiz aquele curso, fiz aquela exposição e vendi aquelas fotos, e nem foi muito o valor da venda, mas aquilo foi uma satisfação e eu disse “nao, é mesmo isto”.

Foto: Yasmin Forte | EXPO IDENTIDADE- Catchupa Factory 2018 | CABO VERDE

Para além da exposição, vem lhe na memória, o tempo em que esteve em residência, em Cabo-Verde e quando os seus colegas, professores, convidam-lhe para fazer algum trabalho ou curadoria. “Quer dizer, é tu olhares para ti e tu veres que as pessoas acreditam em ti, pessoas que já foram teus professores, pessoas que já estiverem contigo em outras situções”, conta Yasmin Forte, realçando a sua gratidão.


Estar posicionada no mercado
permite que se exponha mais

Foto: Yasmin Forte | EXPOSIÇÃO KINANI PORTUGAL | Porto

Não é típico de Yasmin Forte, fazer planos regularmente. A artista  conta que pelo facto de já se encontrar posicionada no mercado, recebe distintos convites para participar em trabalhos mais vezes, facto este que permite que se exponha regularmente. O bom de tu já estares no mundo das artes, quando já teres alguns conhecidos e seres um pouco conhecida pelo teu trabalho, as coisas acontecem naturalmente, os convites para participar em algumas exposições e para fazer alguns trabalhos”, explica.

Yasmin, realiza os seus projectos, bem como faz trabalhos empresarias e para a revista. Tem estado a trabalhar com a revista Índico e concorre para alguns concursos internacionais. Vou me desafiando porque é importante mostrarmos ao mundo aquilo que estamos a fazer, não podemos só ficar fechados na nossa caixinha, no nosso mundo”, narra.


É possível fazer arte em Moçambique

“É importante que as pessoas corram atrás de seus sonhos”

Uma mulher que faz o trabalho há muito tempo e ainda mantém esse trabalho, Yasmin, acredita que isso seja o que a torna uma referência. E fico feliz que possa deixar aberto para que outras mulheres e outras pesooas possam ver que é  possível fazer arte em Moçambique”, explica, acrescentando que vários são os desafios da arte em Moçambique, entretanto é importante que as pessoas corram atrás de seus sonhos e façam aquilo que gostam.

Foto: Yasmin Forte | Exposição O QUE É PRECISO É AMOR | ABSA

 

Esta matéria está integrada no Diversidade, produzido pela plataforma Mbenga Artes e Reflexões, conta com o apoio DIVERSIDADE, um instrumento de financiamento do PROCULTURA PALOP-TL – Promoção do Emprego nas Atividades Geradoras de Rendimento no Setor Cultural nos PALOP e Timor-Leste, financiado pela União Europeia, cofinanciado e gerido pelo Camões, I.P., em parceria com a rede de Institutos Culturais Europeus (EUNIC).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here