Cinco dias de um diário que poderia ser meu

0
46

Dia 1.

Dez pessoas em pé, 13 solas firmes no chão, oito seres curvados, uma estrada consome o fumo preto, enquanto aos poucos perde o alcatrão. Queria ter acento como a fé, para ter tranquilidade para rabiscar este texto que não me sai da cabeça. Quero pensar em letras, mas são em números os pensamentos que pululam em meu íntimo: às vezes vejo um zero a esquerda no espelho, no extracto, mas o número de carácteres nas folhas continua o mesmo elemento neutro da adição. Nada a fazer, se não encontrar minha paragem e caminhar tranquilo, deitar na cama, encher páginas enquanto durmo e acordar vazio, com as mesmas equações por acertar, a caixa cheia de mensagens, mais de 4 mil e-mail por responder e uma vontade insaciável de procrastinar, sentar no alcatrão, deixar-me leve a flutuar, enquanto a nicotina vicia este pulmão sem fôlego e aspirações.

Artigo anteriorX HUB quer profissionalizar actividades criativas
Próximo artigoDiário de Notícias
Acredita em seus sonhos e transforma-os em verdade. Com amigos fundou o Mbenga e escreve o seu destino. Colaborou com periódicos dos PALOP’s. É docente. Formado em Relações Públicas, Jornalismo e Publicidade e Marketing, também é fascinado pela pequisa. Foi repórter e colunista do Jornal Notícias, o maior órgão de informação de Moçambique. Produz e sonoriza o programa radiofônico Cinema em Foco, que é difundido na RDP África. Este é só o principio da revolução.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here