Festival “Punhos no ar” junta mais de 25 artistas

0
57

O Festival Nacional de Hip-Pop “Punhos no Ar” (FNHPA), um dos maiores  festivais de Hip-Hop em Moçambique, este ano será presencial e vai receber em palco mais de vinte e cinco artistas nacionais, no dia 13 de Agosto, no Centro Cultural Franco-Moçambicano (CCFM).

No ano passado o evento foi assistido a partir das plataformas digitais, devido às restrições da Covid-19. A iniciativa, que se centra na valorização e difusão do Hip-Hop a nível nacional, reúne artistas do Sul, Centro e Norte do País, permitindo o intercâmbio entre os amantes e praticantes deste estilo musical.

“O festival é a maior montra do Hip-Pop nacional. É lá que nós queremos que os melhores artistas, não só os conhecidos, como também os que pretendem ser conhecidos, possam passar a sua classe e fazer perceber o quão são bons naquilo que fazem”, explica Negro, apresentador do “Punhos no Ar”.

A 7ª edição do FNHPA, a ser apresentada por Pier Dogg e Negro, para além de exaltar os principais elementos da cultura Hip-Pop, nomeadamente MC, DJ, Break-Dance e Grafite, pretende, igualmente, promover outras manifestações artísticas, com destaque para Freestyle Battle, Expo-Beatz, Poesia e Feira de Hip-Pop.

Neste momento, estão a ser criadas condições para que, nesta edição, haja debate, com vista a discutir a saúde do Hip-Hop nacional.

Estarão em palco mais de vinte e cinco artistas nacionais, desde Duas Caras, Uhuru The Prince, Stinky e Skhokho, Azagaia, Bala De Prata, Invencível, Trez Agah, Projecto Sekeleka, Dynomite, Matador Inocente, Kloro, Trovoada, 9 Nakonz, Mensageiros, Secreto Stone, Grupo 3D – Streetdance, Hot Boy, Dalton O Mc, Slave Boy, Refo, Dj Proodp Amutela, Colectivo Vila Perygoza, Bullet, Gabriel Flames, Mia Couto Júnior, Rei Bravo, Mc Mabenda e Amazing Lecyo.

Os artistas para a 7ª edição do “Punhos no Ar” foram seleccionados pela eficácia de seus trabalhos e histórico de produção.

“Por exemplo, artistas como Dynomite tem aquilo que nós chamamos de hits e são hits que perduram no tempo, são atemporais, onde quer que a gente esteja, se a música toca, nós vamos vibrar. Portanto, artistas como estes são importantes para o movimento”, narra, Negro, acrescentando que a notoriedade na escrita dos artistas também influenciou.

O Festival Nacional de Hip-Pop “Punhos no Ar”, nasceu em 2016, através de uma parceria entre a Nexta Vida Entertainment, o Café Bar Gil Vicente e o Centro Cultural Franco-Moçambicano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here