História da cerâmica

0
7

Depois da fotografia e música, disciplinas artisticas que marcaram a abertura do Gala Gala, na passada Segunda-feira, ontem (14), o segundo dia do festival, foi a vez das artes plásticas e do audiovisual entrarem em cena.
As actividades tiveram início às 18 horas, altura em que foi inaugurada a exposição “Três dimensões: percursos, densidades e possibilidades”.
Através desta mostra, conta-se, explicou Vincent Frontczyk, director do CCFM, a história da cerâmica moçambicana.
A exposição é coorganizada pelo CCFM e CCBM a partir das suas respectivas colecções e do Museu Nacional de Arte, da Moçambique Telecom (TMCEL).
Ainda no mesmo dia, às 19.00, o Camões acolheu a estreia performance artistica audiovisual MUAVE.
Trata-se de um espetáculo de música que – através do casamento de ritmos electrónicos a sons de ambiente captados em diversos lugares – pretende proporcionar ao público uma experiência multisensorial.
O trio Chris Born, Nandele Maguni e João Roxo foram responsáveis pela criação, realização e actuação, respectivamente. May Mbira esteve como instrumentista.
Para hoje, terceiro dia do Festival Gala Gala, estão agendadas mais duas actividades. A primeira, marcada para às 17.00 horas, é apresentação, na Fundação Fernando Leite Couto, do livro digital “Os Olhos Deslumbrados: Ficção sobre os Mercados”.
A obra resulta de uma Oficina de Ficção Narrativa, que este ano foi centrada na criação de textos sobre os mercados, cujos monitores são o editor da FFLC, Celso Muianga, a tradutora e editora Sandra Tamele e a Marcelo Panguana.
Logo às 18.00 horas, Vanize apresentará uma live do concerto “Não sou de ferro”, na 16 Neto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here