A quarentena não curou os dias de solteiro

0
129

Se na primeira década do século XXI a Track Records foi o viveiro do R&B e Hip Hop com as The Dreams, Ace Nells, Trio Fam, Elex, sob liderança do Dj Beat Keeper, entretanto dissolvida, a Same Blood tomou esse lugar. Carmen Chaquice, Hot Blaze, o genial Hernâni da Silva, o fenômeno Lizzy, New Joint são as referências de uma lista que se prolonga.

Recentemente, da cartola dos “Primos”, revelou-se Mark Exodus. Timidamente, foi-se evidenciando nos coros com exibições notáveis. “Corpo da cidade”, no álbum Xigumandzene (2016), o primeiro do rapper Kloro, é um exemplo.

“7 dias solteiro”, sua primeira EP, desabrocha uma nova proposta de R&B na nossa cena, num contexto que é igualmente composto por intérpretes do quilate da Tégui, Bruna Mendes, Trkz…

<a rel="noreferrer noopener" href=

>

Exodus aposta em letras de amores perdidos, essa fórmula infalível que ganha relevo na interpretação suportada por uma voz que sabe ser dramática. É um sussurro. “Vício” é isso, uma música sofrida, de dor, do abandono, da esperança…essas contradições que os poetas bem dominam. Nas seis faixas o sujeito poético não se resolve, o final feliz fica na expectativa.

As músicas foram escritas e produzidas pelo Exodus, a excepção de “Liga” que teve os cuidados de NOCTVRNVL, num álbum que mistura um boom bap alterado, o Neo Soul, R&B. Nisto revela uma escola diversa, onde o Classic Soul parace ter sido determinante.

Ouvimos em Exodus um timbre próximo da linha de um Daniel Caesar (hits: Get You, Best part), o que pode ser um indicativo de uma projecção internacional. É um caminho que está a coleccionar adeptos em diferentes cantos do mundo. A título de exemplo, o hit deste projecto, “Liga”, de acordo com as estatísticas da Modigi, nos últimos 28 dias foi ouvida por 26,5 mil pessoas entre as quais, 19% de Lisboa, 6% da Ilha Reunião e Cape Town, cada uma.

Depois do sucesso deste trabalho de 2018, em tempos de Covid-19, o produtor, compositor e intérprete que bem domina o piano, disponibiliza nas plataformas de streaming, “A Cura”, uma Mixtape, também com seis faixas.

Num jogo de palavras, o músico usa o vocabulário da pandemia. Na música “Meus pensamentos”, a primeira, canta “eu estou mascarado de verdade”, levando a máscara obrigatória para prevenção a uma metáfora de estado de consciência (talvez) …e prossegue com a negação da realidade, quando canta “tu não estás preparada para a verdade”, dirigindo-se a mulher a quem promete amar. E prossegue traçando o amor como a patologia que o força ao isolamento, ao resto do mundo imposto pela Covid-19.

O sujeito poético continua na escuridão, percorre lentamente, descalço sob cacos. Constrói o edifício da tristeza com material adquirido no estaleiro das palavras-chave do status quo. “Avulso”, segunda faixa, continua os dias de solteiro. “Viver de medo é bem duro”, o efeito desta patologia em tempos das redes sociais.

Acompanhado por um piano e efeitos vocais, mais próximo do “Liga”, indica o mais provável caminho que poderá seguir. O agregador nesta é o acústico e a composição minimalista com toques de lofi.

A arquitetura sonora e as instrumentais são concebidas, de modo geral, para gerar uma atmosfera em volta da história que a letra canta. E nisso o produtor trabalha o detalhe. Há leves traços da tendência de incorporar as trilhas de videojogos nas músicas, “Promessas” com Carmen Chaquice tem disso marcas mais evidentes. O repertório inclui ainda “Feelings”, “Verdade” e conclui com “4 Paredes” (produzido por Groovv beats).

E se a expectativa desta Mixtape eram amores resolvidos, a cura das dores de “7 dias de solteiro”, desengane-se, o amor ainda é uma miragem.

Mark Exodus, produtor que recentemente abriu o seu próprio estúdio, no qual está a trabalhar com Anselmo Raplh e Lizha James (entre os nomes maiores), envolve a sua voz doce e frágil em instrumentais suaves; e nos promete novos horizontes sonoros para o R&B moçambicano. As músicas de “A Cura” e singles com “Sons remix”, entre outros, estão disponíveis nas principais plataformas digitais através da Modigi, distribuidora digital que é uma solução moçambicana para o acesso ao mercado global.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here