Dupla colisão: uma verdadeira barbárie no Rapódromo

0
1090

Elcídio Bila

Tal como é o significado de barbárie, fornecido por uma efémera busca nos dicionários on line, a batalha do último sábado, no Beergaden, que marca o regresso do Rapódromo um ano depois, revelou como é que um oponente pode ser selvagem, cruel, desumano e grosseiro ao mesmo tempo.

Sim, essas foram as qualidades (e não defeitos) de 16 Cenas e Trovoada durante toda a batalha, ou seja, nos três rounds. Ainda fiel à semântica do título, os dois batalhadores foram ao palco imbuídos de extrema violência e agressividade, mesmo com o objectivo de “aniquilar” Epaitxoss One e Kadabra, de outro lado da linha imaginária. Sem dúvida, foram trucidados sem nenhuma resposta à altura e, sem exageros, completamente perdidos…

O termo barbárie tem um outro conceito, quando quisermos olhar para a vertente linguística da palavra, que pode ser um lapso ou um erro grosseiro quer gramatical quer ortográfico. Bom, neste aspecto já contraria o  perfil da dupla 16 Cenas e Trovoada, que soube muito e elegantemente fazer o uso do verbo, com um infindável léxico e uma riqueza morfológica, aliada, claro, a pluralidade de ideias. Quanto ao aspecto linguístico dispensamos o acto barbárie a estes dois e doamo-lo, todo ele, aos seus oponentes.

Embora Epaitxoss One não nos tenha acostumado a tamanha pobreza linguística, na noite de sábado – não se sabe porque febres – foi de uma tristeza insuportável escutá-lo. Ainda assim, não chegou a ser pior que a sua dupla que a dado momento pareceu uma “barata tonta”, despido de quaisquer predicados. É. Kadabra foi a quem a barbárie assentou com toda a violência merecida e tornou-se, aquela batalha, uma verdadeira hecatombe.

Kadabra, na verdade, surpreendeu aos desatentos, aos que aplaudem mediocridades, aos que festejam lutos e aos que se prendem ao absurdo. Para os outros, a “morte” de Kadabra era um anúncio com todas as probabilidades de ser real. Afinal, a sua fraqueza criativa é bem conhecida, até os seus oponentes frisaram isso quando lembraram sua batalha com o angolano Tanay Z, dizendo que “o assumimos vencedor por sermos patriotas”. 16 Cenas e Trovoada, num combate equilibrado e devidamente estudado, frisaram também a pouca escolaridade do Kadabra. Um dos motivos, pensamos nós, de ter um discurso lírico muito incipiente.

A “guerra” contra Epaitxoss One não era tão fervente quanto contra o Kadabra, talvez pelas deficiências líricas que este último apresenta. 16 Cenas e Trovoada, que não são distraídos, já sabiam quem era o elo mais fraco. Sobre Epaitxoss falaram, por exemplo, de aspectos genéricos, brincar com suas qualidades: “e tu, com essas dicas de protões, neutrões, gás nobre”, disse Trovoada, “mas qual gás nobre, se tem duas licenciaturas, dois empregos e é um gajo pobre”, rematou 16 Cenas. Num outro momento, um cruzamento feliz entre os dois, evidenciou a sua terra natal, ao dizer que ele é, na verdade, chama-se “epa djo”, mas como é do Centro, devido a pronúncia, só consegue dizer “Epaitxoss”.

Quando se pensava que já não vinha mais bala, afinal faltavam “morrer com estrofes de dois versos”, enfantizou 16 Cenas, ou seja, “Dísticos”, traduziu Trovoada. E no fim dessa estrofe, mesmo para encerrar a rima e provocar um verdadeiro alvoroço veio o seguinte: “seus filhos de um pai que vos negou a paternidade”, começou 16 Cenas e Trovoada sentenciou: “Válter Artistico”.

Quase toda a batalha foi assim, com risos e aplausos e muito barulho para a dupla que claramente fez o trabalho de casa, o que notoriamente não aconteceu com os outros.

Até chega a ser difícil falar da prestação de Epaitxoss One e Kadabra. São muito poucos, quase que inexistentes, momentos de ataque, de autoridade lírica, de criatividade extrema e de pensamento surpreendente. Uma das poucas vezes que mereceu aplausos foi quando Epaitxoss disse “RAP é escola, a maior prova disso sou eu, Azagaia, Hernani, Sleam, Iveth e Dama do Bling; você, Duas Caras, Allan e Trovoada, já deviam saber que um bom rapper também deve ostentar boas habilitações literárias” e noutro momento “Todos de Singatela sabem que sempre que viajas a tua dama fica a ser com***da, e mesmo sendo feia ela é aDorada porque a Impala actualmente todos consomem”. Tirando isso, não pareciam estar ali. E o público, cansado de ouvir patavina, desatou em repúdio, sobretudo quando as rimas de Kadabra entravam em cena, coisas como “olha que se não fosse o Allan e Duas rebentava a tua cabeça com um martelo e um tijolo”. Até alguém lá da platéia gritou: é impossível.

Deslocado e horrivelmente prudente, pediu ao público: “vamos lá, pessoal. Vou mater esse”. Quanta ingenuidade, para quem se diz “o vencedor dos vencedores”. Essa atitude, julgamos nós, pode ter premeditado o mal-estar ao Epaitxoss One que, depois, ficou engolido no palco. Não era para menos, qualquer um que ouve “só porque ouviste que tem ferro no feijão, roubaste 50 sacos para montar portão”, do seu colega só pode ficar desmotivado.

No último round, como em toda a batalha, atropelavam-se, caçavam-se… um acto digno de iniciantes. Não estavam nem um pouco preparados. Mesmo quando Kadabra decidiu “jogar sujo”, destacando o defeito físico de Trovoada, só arruinou ainda mais sua prestação. Podia ter usado todas as armas, menos aquela. Se conseguisse chutar uma piada sem ser deselengante podia, até, dar-se bem.

Foi uma noite épica, sem dúvida, onde menos de 30 minutos superaram concertos de hip-hop de largas horas. Muito riso e boa disposição persegue os amantes das batalhas líricas até hoje. Só correm vídeos amadores, mas o “barulho” sobre o assunto é enorme. E quando os vídeos profissionais forem divulgados com certeza a febre vai subir.

Kadabra, porque não percebe que o melhor nestas alturas é estar calado, reclama sabotagem e outras desculpas de um mau batalhador com um ego inflamado. Ainda que o tempo tenha sido duplicado para eles, não fariam face a um dueto bem ensaiado e melhor estruturado como Trovoada e 16 Cenas.

Das próximas vezes, que se libere o palco para que os adversários tenham um campo por onde jogar a vontade. Gente desnecessária não só atrapalhava o ritmo da batalha como também punha em causa a qualidade da captação de imagens.

O resto as imagens vão dizer, aguardem pela barbárie.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here