Rita Mendes vem “residir” a Maputo em Outubro

0
44

A escritora portuguesa Rita Canas Mendes é a autora vencedora da 1ª edição do programa de Residência Literária, a realizar de 16 de outubro a 16 de Novembro, na cidade de Maputo, em Moçambique.

O júri foi constituído por Clara Riso (Casa Fernando Pessoa, convidada), Manuel Veiga (Câmara Municipal de Lisboa) e João Pignatelli (Camões – Centro Cultural Português em Maputo).
A decisão do quórum foi unanime, “considerando que no universo das candidaturas admitidas é a que melhor se enquadra na lógica do presente programa de Residência Literária”, lê-se na nota de imprensa.

O júri valorizou o impacto e benefícios expectáveis que novos encontros e experiências proporcionados pela residência poderão refletir, de forma determinante, na atividade literária da candidata vencedora.

O projeto de criação literária
apresentado, prossegue o documento, em função do currículo e do tempo do programa. Rita Canas Mendes será a escritora em residência na cidade de Maputo, de 16 de outubro a 16 de novembro de 2019.

Rita Canas Mendes faz tradução literária, é blogueira, destacando-se as publicações que faz no kitschnet, Time Enough At Last ou Bom Texto.

Nascida em 1984, escrevendo sobre si, na sua página oficial, informa que “se a palavra foi sempre o meu norte, a imagem não ficou para trás. Ando sempre de roda das artes plásticas, da estética, da história e da filosofia da arte, e não foi por acaso que em 2012 caí de amores pela tipografia artesanal”.

Neste âmbito, em Maio, o poeta Amosse Mucavele esteve na capital portuguesa, Lisboa, com o projecto “Vestígios do silêncio”.

Esta Residência foi criada ao abrigo do protocolo de cooperação celebrado entre a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o Camões – Centro Cultural Português em Maputo, o programa destina-se a escritores de nacionalidade portuguesa com obra publicada, residência oficial em Lisboa ou que se encontrem a viver, estudar e/ou trabalhar na cidade e que pretendam desenvolver um projeto de criação literária, coerente com o seu percurso e pertinente na proposta de relação com Moçambique.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here