“Esta é a nossa memória” celebra com cinema a independência de Angola

0
39

No mês em que Angola celebra o 45º aniversário da independência, a Associação Tchiweka de documentação e a GERAÇÃO 80 em parceria com a TPA, a SESC Digital e a plataforma Mostra de Cinemas Africanos apresentam “Esta é a Nossa Memória”.

A iniciativa tem como objectivo celebrar o mês da independência, com a exibição, durante o mês de Novembro, de 5 documentários do projecto “Angola – Nos Trilhos da Independência.”

Com cerca de 900 horas de material audiovisual recolhido em território angolano e internacional, 700 depoimentos de protagonistas da luta anticolonial, o projeto “Angola – Nos Trilhos da Independência” foi a base essencial de onde saíram os documentários “Independência”, “Mulheres de Armas”, “São Nicolau – Eles Não Esqueceram”, “A Persistente Fragilidade da Memória” e “Angola – Nos Trilhos da Independência”.

Programação de Angola

6 de Novembro Angola – Nos Trilhos da Independência

11 de Novembro Mulheres de Armas Independência

13 de Novembro São Nicolau – Eles Não Esqueceram

20 de Novembro A Persistente Fragilidade da Memória.

No Brasil, em parceria com a Mostra de Cinemas Africanos e o SESC Digital, os 5 documentários vão estar disponíveis gratuitamente online a partir do dia 11 Novembro até 2 de Dezembro de 2020 no território brasileiro e nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa em www.sescsp.org.br/cineafrica.

No dia 30 de Novembro os 5 documentários ficarão permanentemente disponíveis online com acesso grátis para todo mundo no canal Youtube da Associação Tchiweka de Documentação.

SOBRE OS FILMES Angola – Nos Trilhos da Independência

Angola | 2012 | 55 min. | Documentário | 12 Anos Título Original: Angola – Nos Trilhos da Independência Direção: Fradique & Kamy Lara Roteiro: Fradique & Kamy Lara Fotografia: Kamy Lara Sinopse: Foram 57 meses, 900 horas de material audiovisual recolhido em território angolano e internacional, com cerca de 700 depoimentos de protagonistas da luta anticolonial. Tudo isto destinado a preservar a memória de um período na História que diz respeito a Angola e à luta de todos os povos sob ocupação colonial cujas memórias padecem ainda de ser registadas e pensadas.

Mulheres de Armas Angola | 2012 | 12 min. | Documentário | 12 Anos Título Original: Mulheres de Armas Direção: Kamy Lara Roteiro: Fradique & Kamy Lara Fotografia: Kamy Lara Sinopse: Realizado em 2012 no âmbito do Projecto “Angola – Nos Trilhos da Independência” sobre a participação da mulher angolana na Luta pela Independência Nacional.

Independência Angola | Ano | 105 min. | Documentário | 12 Anos Título Original: Angola – Nos Trilhos da Independência Direção: Fradique Roteiro: Fradique, Conceição Neto & Paulo Lara Fotografia: Kamy Lara Sinopse: A 11 de Novembro de 1975 Angola proclamou a independência, 14 anos depois do início da luta armada contra o domínio colonial português. O regime de Salazar recusava qualquer negociação com os independentistas, aos quais restava a clandestinidade, a prisão ou o exílio. Quando quase toda a África celebrava o fim dos impérios coloniais, Angola e as outras colónias portuguesas seguiam um destino bem diferente. Só após o golpe militar de 25 de Abril de 1974 ter derrubado o regime, Portugal reconheceu o direito dos povos das colónias à autodeterminação. Os anos de luta evocados em “Independência” determinaram o rumo de Angola após 1975. Opções políticas, conflitos internos e alianças internacionais começaram a desenhar-se durante a luta anti-colonial. As principais organizações (FNLA e MPLA e, mais tarde, UNITA) nunca fizeram uma frente comum e as suas contradições eram ampliadas pelo contexto da Guerra Fria. A independência foi proclamada já em clima de guerra, mas com muita emoção e orgulho, como é contado no filme.

São Nicolau – Eles Não Esqueceram Angola | 2012 | 12 min. | Documentário | 12 Anos Título Original: São Nicolau – Eles Não Esqueceram Direção: Fradique & Kamy Lara Roteiro: Fradique & Kamy Lara Fotografia: Kamy Lara Sinopse: São Nicolau foi, no período colonial, o maior campo de prisioneiros políticos angolanos, milhares deles sem julgamento. A vastidão e a estrutura do campo não eram as duma prisão típica mas a fuga era praticamente impossível, entre o mar e o deserto. A população de detidos e seus familiares vinha dos quatro cantos de Angola e dos mais diversos meios políticos, religiosos e profissionais. Todos partilhavam o sonho da Independência, mesmo quando divergiam sobre os caminhos para a obter.

A Persistente Fragilidade da Memória Angola | 2015 | 26 min. | Documentário | 12 Anos Título Original: A Persistente Fragilidade da Memória Direção: Gretel Marin Roteiro: Gretel Marin Fotografia: Kamy Lara Sinopse: Incluído no projecto “Angola – Nos Trilhos da Independência”, o filme reflecte sobre a questão da memória, através de várias entrevistas aos membros do projecto.

GERAÇÃO 80, Produtora Produtora angolana fundada em 2010, com uma vasta experiência no sector do cinema e audiovisual em Angola, com foco em filmes independentes e de autor nos mais variados formatos e géneros. Produz e distribui as suas obras, seja de um modo clássico ou de guerrilha. Cinema só acontece quando partilhado. Os seus filmes já participaram em vários festivais de cinema no continente Africano e no mundo. A GERAÇÃO 80 tem sido uma das principais portas de entrada para produção local e co-produções internacionais em Angola. Estamos a renascer com o cinema do nosso continente, queremos pôr Angola no mapa do cinema Africano e mundial.

A A.T.D. é uma associação sem fins lucrativos que tem como principal objectivo a promoção e divulgação de actividades que contribuam para preservar a memória e aprofundar o conhecimento sobre a luta de libertação e soberania nacional dos povos africanos, da ex CONCP e mais particularmente de Angola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here