João Paulo Borges Coelho no pódio do prémio Oceanos

0
131

Com o livro “Museu da Revolução”, João Paulo Borges Coelho conquistou a segunda posição da 19ª edição do Oceanos e colocou Moçambique no pódio deste Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, que anualmente escolhe os melhores trabalhos publicados em língua portuguesa.

Nessa obra de ficção,  que valeu ao escritor e historiador 80 mil reais (aproximadamente 974 mil meticais cotação actual), são nos apresentadas personagens  que participam da história de Moçambique desde os tempos da luta de libertação pela independência no século XX. Nesse retrato contemporâneo do país, o leitor não só é convidado a fazer de uma viagem no tempo, mas também a fazer um percurso geográfico por vários outros países que se relacionam com Moçambique de diversas formas.

“Museu da Revolução” foi uma das 10 obras finalista do “Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa 2022”, que teve como vencedora a portuguesa Alexandra Lucas Coelho com a obra “Líbano, labirinto” e a terceira posição foi ocupada pela brasileira Micheliny Verunschk com o romance “O som do rugido da onça”. 

Três obras moçambicanas estiveram entre as 10 finalistas da 19.ª edição do Oceanos. O prolífico escritor nacional Pedro Pereira Lopes integrou a lista  através d’O Livro do Homem Líquido”, composto por um conjunto de contos ficcionais e reais, publicados, inicialmente, online nesta plataforma. A obra é chancela pela Gala-Gala, editora de que é fundador e dirige há cerca de dois anos.

O livro é um convite ao leitor para uma experiência que recorda as conversas descontraídas a volta fogueira. A obra faz um hino à oralidade. Os temas variam mas, no geral, são de ideias para contos que o autor nunca conseguiu dar fôlego, desenvolver, ou pequenas narrativas que foi ouvindo pela vida, pelo mundo.

A terceira obra moçambicana finalista é “Tornado” de Teresa Noronha. O livro conta com 155 páginas. O enredo é singular, o apuro e originalidade da escrita lhe valeu a primeira edição do prémio literário Maria Velho da Costa, criado pela sociedade Portuguesa de Autores.

O romance de Teresa Noronha é catártico e carrega nas suas páginas lágrimas, revelações, emoções que se sustentam a partir da conversa com o irmão morto, que se suicidou muito jovem, aos vinte anos. Uma morte que muda tudo, destrói o equilíbrio da família e que, mesmo decorridos vários anos, permanece sem resposta entre as muitas explicações possíveis. “Tornado” é um relato confessional, no qual a narradora busca o sentido da vida.

Este ano, concorreram ao Oceanos 2.452 títulos de autores de 17 diferentes nacionalidades, com obras publicadas em sete países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal.

Dos géneros literários avaliados, a poesia — com 1.130 livros — correspondeu a 46,1% das inscrições. Os romances somaram 743 obras e representaram 30,3% do total; os livros de contos — 372 inscrições — perfizeram 15,2%, seguidos por 156 volumes de crónicas — 6,4% — e 51 obras de dramaturgia — 2,1%.

O processo de avaliação das obras selecionadas é realizado em três etapas consecutivas: na primeira, o júri de avaliação elegeu 60 obras semifinalistas e escolhe, por votação, os membros dos júris subsequentes.

Na segunda etapa, o júri intermédio selecionou dez finalistas e, por fim, na terceira etapa, o júri final escolhe os três vencedores.

O valor total do prémio é de 250 mil reais (cerca de 3 milhões de meticais na cotação atual), sendo 120 mil reais (1,8 milhão MZN) destinado ao primeiro colocado, 80 mil para o segundo (974 mil MZN) e 50 mil para o terceiro (609 mil MZN).

O Oceanos é realizado via Lei de Incentivo à Cultura, pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, e conta com o patrocínio do Banco Itaú e da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas da República Portuguesa; o apoio do Itaú Cultural, do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde e do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa, assim como o apoio institucional da CPLP.

Assista aqui a cerimónia de premiação:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here