Abertas chamadas para Prix pour la Photographie/ Prémio para a Fotografia 2022

0
166

Está aberta até 17 de Março de 2022 a Chamada de projectos – Prix pour la Photographie/ Prémio para a Fotografia 2022. A dotação é reavaliada até 30 000 euros por cada projeto, para uma seleção anual de 3 laureados processada por um júri internacional, na sequência de um grande concurso.
Em 2022, o programa ganha uma nova pele e se torna o musée du quai Branly – Prêmio Jacques Chirac de Fotografia.
Desde o seu lançamento em 2008, o programa de Residências no musée du quai Branly – Jacques Chirac tem dado suporte à criação fotográfica contemporânea. Todos os anos, o museu financia as obras de três laureados, selecionados com base num projeto original, em coerência com o seu percurso estético pessoal.
Apoia também a produção final de uma seleção de imagens destas obras para a sua entrada no acervo do museu. Focado numa prática fotográfica exigente exercida mundialmente e representativa de um dos quatro continentes representados nas coleções do museu, o programa não se limita à prática documental e está aberto a formas alargadas de produção de imagem.
Desde 2008, este apoio tem revelado muitos talentos e abre as coleções nacionais a todo o mundo e à sua criação atual. Podemos citar ao longo dos anos os trabalhos de artistas como Sammy Baloji, Hugo Aveta, Che Onejoon e Lek Kiatsirikajorn (2012), Guy Tillim (2015), José Luis Cuevas (2017) e muito recentemente Fatoumata Diabaté e Emilio de Azevedo (2020).
Em 14 anos, as Residências de Fotografia permitiram que 38 séries fotográficas, ou o equivalente a 555 gravuras, integrassem as coleções nacionais. Esta grande coleção constitui a base para a criação internacional contemporânea, em aspectos tão diversos como a ecologia (137 Anos, Zhao Renhui – Cingapura), a crise migratória (Cartografias de Fuga, Luis Carlos Tovar – Colômbia), a memória pós-colonial (Viagem Imaginária II, Gosette Lubondo – RDC), a desconstrução do modelo patriarcal (La Etapa Bruja, Liza Ambrossio – México) e o papel da fotografia no questionamento da identidade contemporânea (Residente e Visitantes, Brook Andrew – Austrália).
Simultaneamente museu, centro cultural e local de pesquisa e ensino, o musée du quai Branly – Jacques Chirac possui um acervo fotográfico composto por mais de 710.000 peças fotográficas antigas e contemporâneas.
As coleções de fotografia abrangem toda a área geográfica representada pelo museu, bem como todo o campo histórico do meio, desde 1842 até hoje.

Eis o link de inscrição:
https://www.quaibranly.fr/en/collections/all-collections/photography-at-the-museum/the-photography-prize/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here