“Tornado” de Teresa Noronha Lançado em Maputo

0
156

“Tornado” é o título que dá nome ao livro de Teresa Noronha, vencedora da primeira edição do prêmio literário Maria Velho da Costa, criada pela sociedade Portuguesa de Autores.

O lançamento do livro está agendado para a próxima sexta-feira, 17 de dezembro, pelas 17h, no Camões- Centro Cultural Português, em Maputo.

O livro que sai sob chancela da editora Exclamação, será apresentado pelo professor catedrático Álvaro Carmo Vaz.

Tornado desenrola-se como uma longa carta de uma mulher a um irmão que se suicidou (acto que pulverizou o núcleo de uma família de origens distintas na capital de um país que despontava para a independência), e começa no dia em que, 25 anos depois, se recolhem as ossadas do falecido, cumprindo a epístola o duplo papel de introduzir a singularidade de uma história íntima/familiar e de ser um pretexto para falar, sem complexos nem subterfúgios, das clivagens interiores e exteriores, dessa convulsão que representou a descolonização e da euforia ou das dores de crescimento que sobrevieram com a independência de Moçambique.

Biografia da autora


Teresa Noronha nasceu em Moçambique em 1965. Licenciou-se em Agronomia em 1986 pela Universidade Eduardo Mondlane e, em 1988, foi para França, Montpellier onde frequentou o mestrado em Desenvolvimento Rural. Em 1991 decide viver em Portugal, onde foi professora de Matemática, Ciências e Francês, em Lisboa e em Angra do Heroísmo. Começa a trabalhar como tradutora (1996) e, posteriormente, em edição de livros na Editora Fim de Século (1999) e Íman Edições (2000-2004) de que foi uma das sócias fundadoras.

Traduziu vários romances do francês para a editora Teorema: de Patrick Besson – Haldred; de Richard Morgiève – Meu Lindo Jacky; de Pierre Louys História do Rei Gonalve e das suas doze Princesas) e para a Íman edições O ladrão de crianças de Jules Supervielle) do francês. Também traduziu um livro de poesia de José Luís Panero e um livro de ensaio de Alan Watts – Om, a sílaba sagrada.

Neste momento acabam de ser lançados, em Moçambique, o livro de poesia da poeta espanhola Esther Peñas, “O Passo que se habita”, e em Portugal, a sua última tradução: “Um curto vestido de Festa”, de Christian Bobin, editado pela Barco Bêbado.

Em 2004 regressa a Moçambique e trabalha como editora na Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa. Neste âmbito, deu um impulso à edição de livros infanto-juvenis em Moçambique e as suas iniciativas editoriais têm marcado o panorama gráfico deste país. Como escritora, ganhou o Prémio Nacional da editora Alcance para o livro infantil, com “A Viagem de Luna” (2015), e agora o Prémio Literário Maria Velho da Costa/SEC, com o romance “Tornado”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here