Defende Vice-Ministro da Cultura: Indústria da moda deve ser mais sustentável

0
61
@paulo_alexandre_photography
Foto: Paulo Alexandre

O Vice-Ministro da Cultura e Turismo, Fredson Bacar desafiou aos promotores da moda para que sejam mais sustentáveis, pelo bem da indústria e do planeta.


Falando no encerramento do Mozambique Fashion Week (MFW), que terminou neste final de semana na capital do país, Bacar apontou que a sustentabilidade não está apenas nas boas práticas de fabricação de peças da moda, mas também em atitudes e escolhas conscientes de consumo.


“Optar por alternativas menos agressivas ao planeta deve ser a alternativa perfeita do consumidor. A nossa indústria da moda deve oferecer, incentivar e vestir a camisa da mudança que precisamos para salvar o planeta”, disse, apelando a DDB, agência que organiza o MFW, e a todos promotores da indústria da moda nacional para que sejam a força da mudança.


Bacar também reiterou que o MFW é uma plataforma que promove o desenvolvimento das artes e cultura moçambicanas, através da moda. Para o governante, a semana da moda serve de oficinas e incubadora de oportunidades para vários estilistas, modelos e artistas exibirem a sua criatividade.


Entre os diversos objectivos do evento, “o MFW pretende, essencialmente, tornar-se num cartaz de promoção da cultura e turismo, colocando Moçambique nos roteiros da Moda Internacional, factor que leva o Ministério da Cultura e Turismo a abraçar a causa pelo facto dos objectivos do MFW estarem alinhados com os do Governo”, anotou.


No evento que iniciou no dia 7 de Dezembro e se estendeu até último domingo, o Ministério da Cultura e Turismo se fez representar através do Instituto Nacional do Turismo (INATUR) e do Instituto Nacional das Indústrias Culturais e Criativas (INICC).


Um dos momentos que marcou a última noite da semana da moda foi o desfile INATUR CHALLENGE, que elegeu Ilda Semedo cimo Melhor Estilista do desafio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here