Novo presidente do Núcleo de Artes quer internacionalizar artes plásticas

0
124

Celestino Mudaulane, o novo presidente do Núcleo de Arte,  promete tudo fazer em nome do  reconhecimento das artes plásticas e dos seus fazedores nacional e internacionalmente. 

Para tal, o dirigente eleito neste final de semana vai apostar na elaboração de estratégias para o intercâmbio com outros países, bem como a criação de espaços para exposição dos produtos artísticos fora do país.

No discurso proferido logo após o anúncio da sua vitória, Celestino Mudaulane realçou que pretende trazer maiores ganhos financeiros aos artistas plásticos. Na sua visão, os artistas devem ter bases para viver de forma condigna do seu trabalho.

O actual Presidente do Núcleo de Arte reconhece as fraquezas do sector, entretanto garante que dará tudo para tornar a arte um negócio rentável.

Na ocasião, Mudaulane sublinhou que, para o cumprimento dos seus planos de governação é imprescindível o envolvimento das diversas camadas sociais e na mesma medida é necessário que as artes e cultura sejam divulgadas usando todos mecanismos à disposição.

O escrutínio decorreu no sábado, 4 de Dezembro, e foi disputado por dois candidatos, tendo tido um resultado equilibrado. Celestino Mudaulane, em representação da Lista B, teve 67 votos. José Manhiça, da Lista A, que teve um total de 65 votos. As eleições foram marcadas por duas abstenções.

Quem é o novo presidente do Núcleo de arte?

Mudaulane, nasceu a 17 de Março de 1972, em Maputo. Licenciado em História pela Universidade Eduardo Mondlane, concluiu o nível médio em Cerȃmica em 1992, na Escola Nacional de Artes Visuais (ENAV), onde actualmente é Director Pedagógico Adjunto e Professor de Cerâmica e Design.

É membro do Núcleo de Arte e membro fundador do Movimento de Arte Contemporânea de Moçambique (MUVART). Ao longo da sua formação, destaca os estágios profissionalizantes que realizou em instituições especializadas em ensino artístico, tais como a Art Fundation School, em Joanesburgo, África do Sul (1994), a Escola Secundária Soares dos Reis, no Porto, Portugal (1997) e o Departamentos de Desenho e Cerâmica da Universidade de Natal, África do Sul (1999).

Foi diversas vezes premiado na categoria de Cerâmica, destacando o 1º Prémio de Cerâmica na Exposição Anual do Museu Nacional de Arte em Maputo (1999), o 1º Prémio de Cerâmica na Bienal TDM – Telecomunicações de Moçambique (2003) e 2º Prémio de Cerâmica na Bienal TDM – Telecomunicações de Moçambique (2005).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here