“Os Olhos deslumbrados” sobre os Mercados

0
183
Mercado Central de Maputo. Fotografia de Rafael Dantas.

“Os Olhos deslumbrados”, oficina de ficção literária, recebeu 34 candidaturas nesta 2ª edição. Esta iniciativa da Fundação Fernando Leite Couto (FFLC) está integrada na programação do Festival Gala Gala, a decorrer em Setembro.

Das propostas submetidas, serão selecionados 12 finalistas, que terão o acompanhamento do Editor da FFLC, Celso Muianga. Sandra Tamele, editora, tradutora fundadora da Trinta Zero Nove e o escritor e ensaísta e editor Marcelo Panguana também farão a monitoria dos candidatos. 

A curadoria e processo de lapidação dos contos finalistas, cuja temática é Mercado, conforme a compreensão do jovem escritor, resultará num livro intitulado “Os Olhos deslumbrados”, que tal como no ano passado, estará disponível gratuitamente na plataforma online ISSU.

Cada candidato deverá encontrar no imaginário o “seu mercado que pode ser a banquinha da senhora na esquina da zona” que contribui para o sistema financeiro. No ano passado o tema foi o património e a memória da cidade Maputo. A maquetização foi feita por Rui Batista e as ilustrações por João Matine. 

Mercados, aponta Celso Muianga, reflectem a organização socio-económica de qualquer sociedade moderna. E num país em que os mesmos funcionam maioritariamente no informal podem ser capazes de criar deslumbramentos. “Estamos a olhar para os mercados, formais e informais, como um sector dinamizador a nível social, cultural e até económico”, assinalou o editor.

“Os Olhos deslumbrados” é um projecto que perpetua o legado do patrono da fundação, Fernando Leite Couto, que tem como objectivo orientar novos autores. “Pretendemos capacitar os candidatos em matérias de produção textual, tais como a performance, estética e revisão dos seus trabalhos”, detalhou Celso Muianga. 

Estimular os jovens escritores a explorarem diversas vertentes sociais, prosseguiu o editor da FFLC, é outro propósito desta iniciativa que a cada edição foca-se numa temática específica, num aspecto que desperte a veia criativa que conduza os jovens escritores ao nirvana para escreverem os seus textos.

Para Muianga que foi pupilo do jornalista, poeta, escritor e editor Fernando Leite Couto, “Os Olhos deslumbrados” é uma oportunidade para trabalhar directamente com a nova geração de escritores moçambicanos, dotando-os de ferramentas.

“Há todo um leque de referências – literárias – que é preciso dar aos jovens e novos autores”, explicou Celso Muianga. Para quem há um percurso a se fazer  para se chegar a “casa grande – a Literatura moçambicana”.

Celso Muianga, rosto habitual da editora da FFLC passa a trabalhar com o escritor Lucilio Manjate, Coordenador Editorial. Numa equipa liderada por Sara Jona Laísse é ainda constituída por Mário Lhamine, Nunes Chichava, Guilhermina Oliveira e António Sive, nas vendas, administração e finanças e na gestão de sectores perfomativos, com Maria Clotilde Guirrugo (programação), Pedro da Silva Pinto (produção) e Leonel Matusse Jr (comunicação).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here